Avançar para o conteúdo principal

Dia Mundial da Criança pelo padre João Aguiar campos

Hoje levantei-me mais cedo; mesmo antes de o avô Aguiar fazer ranger a porta do corredor e, com um único chamamento, acordar toda a casa: «A pé, minha gente, que temos de fazer alguma coisa pela fresca!...»

Vi, por isso, a primeira luz do dia a entrar, ainda envergonhada, pelas janelas de pau, empenadas da idade. Corri, depois, para a janela de baixo, mesmo a tempo de ver o primeiro voo das pombas da Albertina, às voltas nos canastros antes de regressarem à Geira.

Hoje não perguntei «que roupa visto?». Vesti os calções de ontem, com a alça da esquerda a apertar no botão do meio, atravessando o peito – que o seu caiu algures no meio de uma brincadeira, quando jogava à lipa em Fijogo. E como ficam bem estes calções, com a fralda mal metida a escapar-se de um lado!... O costume; de modo que, mais logo, a mãe há-de dizer «anda cá, meu filho, que pareces um molho de brócolos, todo desajeitado; e eu não te quero assim».

Da boina não gosto, mas tem de ser. Ao menos vai servir para o desafio «a ver quem atira mais longe!» -- o nosso boomerang de pano nas brincadeiras descalças, apenas interrompidas para tirar um pico, com a língua de fora e um «esperai por mim» na pressa dos outros.

Já puxei, entretanto, as mantas aos rapazes e eles ameaçaram: «minha mãe, olhe o João». «Não comeceis já!» -- pediu a mãe, acrescentando: «vou já saber quem rezou as orações da manhã»…

Isto lembrou-me o Santo Anjo da Guarda; mas, como sempre, parei a perguntar-me: «é rege, guarda e ilumina, ou tem também aqui um governa?... Oh, ele sabe o que há-de fazer!..». Por isso, «eu já rezei!...».

Amanhã é primeira sexta. Os grandes vão confessar-se. Com alguma habilidade, tenho esse tempo para brincar, antes da missa e da mãe me ajoelhar à sua frente, não me deixando sentar nos calcanhares: «Põe-te direito, João, e não me olhes mais para trás!...». Outro dia, o Padre Monteiro quase se enganou: depois de dar a comunhão à minha mãe, ainda estendeu a mão na minha direcção. Eu espreitava na esquina do cotovelo materno quando ele fez uma cruz macarrónica numa frase esquisita (dizem que é Latim), que a mãe parou a meio, pondo-me a mão na boca. Caramba, que foi por pouco!...

Mas sexta-feira é amanhã. Hoje é quinta: é dia de a Conceição do Perneta vir do Gerês, trazendo o trigo que vai dar outro sabor à cevada da manhã de domingo… Sinto-me a «lamber as barbas», por antecipação – esquecendo que o pequeno almoço de hoje é uma água de unto, tirada do pote de ferro que há bocado começou a cozer os feijões do almoço. Bem quentinha e com broa assada, lá tem que ser!...

…. Nada disto aconteceu hoje. Mas é pena. Eu queria assim o meu Dia da Criança!...

João Aguiar Campos 

Mensagens populares deste blogue

Papa Francisco recebe em audiência 35 mulheres separadas e divorciadas

Na segunda-feira, 26 de junho, o Papa Francisco recebeu em audiência privada no Vaticano, um grupo de 35 mulheres separadas e divorciadas da Arquidiocese espanhola de Toledo.

Mais de 46 pares de noivos preparam matrimónio em Famalicão

Iniciaram a sua preparação para o casamento no passado domingo, dia 15 de abril, no Centro Social e Paroquial de Ribeirão, 46 pares de noivos, sob a orientação de uma equipa de seis casais oriundos das paróquias de Esmeriz, Fradelos, Lousado e Ribeirão, bem como do assistente deste CPM, o padre António Machado, pároco das freguesias de Fradelos e de Vilarinho das Cambas. A equipa é coordenada pelo casal Ana Maria Almeida e Adão Manuel Rocha, da paróquia de Ribeirão.

Mãe, obrigado!

Mãe, Tu, Que a partir do momento que aceitaste o dom da vida, Desde da fecundação do teu filho… até hoje, Todas os dias, Ao longo da tua vida, Sempre. Sem nunca deixares de te preocupar, Estiveste sempre ao seu lado.