Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2017

Inscrição na XII Jornada da Família - "Não há famílias perfeitas"

XII Jornada da Família É já no próximo sábado,  dia 4, das 14h30 às 18h45! Inscreva-se aqui: https://goo.gl/forms/co71Jn8ddrFpCNUv2 #naohafamiliasperfeitas

E porque não há famílias perfeitas?!

Não há famílias perfeitas. É uma frase na negativa, mas não é uma afirmação negativista. A primeira ideia que deve afirmar-se como essencialmente positiva é a existência de FAMÍLIA. Esta é, e deve ser, a primeira aspiração do ser humano, do ser homem e ser mulher, o “ser família”. Depois, constatamos que não há, individualmente, homens ou mulheres perfeitos. Costuma dizer-se usualmente: ninguém é perfeito. Logo, quando se juntam, pelo amor, duas imperfeições, não quer dizer que o resultado vai ser a obtenção da perfeição, mas um todo, também ele, imperfeito, à busca do aperfeiçoamento.

Unidade dos Cristãos

Amanhã termina mais uma Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos. Que passos concretos damos nós no caminho dessa união? Um pouco por todo o lado, assistimos a momentos de oração com os nossos bispos e responsáveis de diversas Igrejas... E nas restantes 51 semanas?Este ano o Papa quis celebrar juntamente com os Luteranos os 500 anos da Reforma Protestante. Foi a 31 de Outubro de 1517 que Martinho Lutero afixou na porta da igreja de Wittemberg as 95 teses que queria debater, principalmente com aqueles que defendiam e "vendiam" as indulgências. Os temas principais eram a penitência, as indulgências e a salvação pela fé. O objetivo deste monge agostiniano não era dividir a Igreja como aconteceu, mas renová-la, como o afirmou o Santo Padre no passado dia 19 em Roma.O que é que podemos aprender com esta semana e mesmo com esta comemoração do 5º centenário de Wittenberg?

A Família Que Somos - Inquérito

Encontro de namorados

"Quero-te à minha medida ou aceito-te como és?"
Este é o desafio para a 3ª Edição dos Encontros de Namorados da Arquidiocese de Braga, que se vai realizar no próximo dia 11/02/2017.
INSCRIÇÕES:
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSf0R2M0Mt6e3CU4mfh_xsLPfDgiBamMMROzkC_MRDUGTcsWug/viewform?c=0&w=1


A Família Que Somos - Inquérito

A Equipa da Pastoral Familiar Arciprestal de Vila Nova de Famalicão está a levar a cabo um inquérito acerca da Família.  Este inquérito surge na lógica dos desafios do papa Francisco feitos na Exortação Apostólica  Amoris Laetitia (A Alegria do Amor).  Na realidade, este inquérito parte da constatação da realidade de cada família que somos (“Como é e como está”) para se deixar questionar e iluminar pela Exortação Apostólica. Por outras palavras, depois do sínodo sobre a família, depois desta exortação do papa Francisco, que  continuidade dar, ou como concretizar a Exortação Apostólica, quais as dificuldades e/ou constrangimentos da sua aplicação, que caminhos propor... Como trazer para as famílias e como coloca-las a refletir sobre a proposta cristã de família?

Não há famílias perfeitas - XII Jornada da Família

“Não há famílias perfeitas!” pode ser considerada uma frase feita... No entanto, é uma afirmação inegável.  Assumindo-a como tema da XII Jornada da Família desafiamos as famílias, as comunidades, cada um de nós, a fazer este caminho paciente, belo e fascinante na vida familiar.  O nosso objectivo não é valorizar a imperfeição mas pormo-nos a caminho para descobrir a melhor maneira de fazer do nosso futuro um futuro com famílias. O Papa Francisco, falando na Praça de São Pedro repleta de noivos, no 14 fev., 2014, dizia: "Sabemos todos que não existe a família perfeita, o marido perfeito, ou a mulher perfeita... não falemos da sogra perfeita! É habitual os casais zangarem-se...". Se assim é, como superar estas dificuldades!?

Carta do Papa Francisco aos jovens sobre o Sínodo dos Bispos: «Os jovens, a fé e o discernimento vocacional»

Carta do Papa aos jovens por ocasião da apresentação do Documento preparatório para a XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos Vaticano, 13 de janeiro de 2017
Caríssimos jovens! É-me grato anunciar-vos que em outubro de 2018 se celebrará o Sínodo dos Bispos sobre o tema «Os jovens, a fé e o discernimento vocacional». Eu quis que vós estivésseis no centro da atenção, porque vos trago no coração. Exatamente hoje é apresentado o Documento preparatório, que confio também a vós como «bússola» ao longo deste caminho. Vêm-me à mente as palavras que Deus dirigiu a Abraão: «Sai da tua terra, deixa a tua família e a casa do teu pai, e vai para a terra que Eu te mostrar!» (Gn 12, 1). Hoje estas palavras são dirigidas também a vós: são palavras de um Pai que vos convida a «sair» a fim de vos lançardes em direção de um futuro desconhecido, mas portador de realizações seguras, ao encontro do qual Ele mesmo vos acompanha. Convido-vos a ouvir a voz de Deus que ressoa nos vossos corações através d…

“Os pais não são amigos dos filhos. São adultos e devem funcionar como tal, traçando limites”

O psiquiatra Daniel Sampaio, que trabalha há mais de 30 anos com adolescentes e famílias, alerta: “quando as gerações ficam muito próximas, a autoridade enfraquece”Na última crónica que escreveu para a revista P2, do jornal Público, em Dezembro último, dizia que os pais estão mais próximos dos filhos como nunca, mas, em muitos casos, há um marcado défice de autoridade”. O que está a falhar? Na primeira metade do século XX, os pais estavam mais distanciados dos filhos. Existia autoritarismo e, muitas vezes, castigos físicos. A relação entre pais e filhos era de uma certa distância repressiva. A partir da segunda metade do século XX, nos anos 70 e 80, houve uma aproximação das gerações. Os pais, sobretudo, os progenitores masculinos, ficaram próximos das crianças. Do ponto de vista psicológico, isso foi muito benéfico. Mas, quando as gerações ficam muito próximas, a autoridade enfraquece. Neste momento existem muitos problemas porque os pais têm dificuldade em exercer a autoridade e a fu…

Batizar é pedir a Fé

Neste domingo, 8 de Janeiro (2017), o Papa Francisco presidiu na Capela Sustinha  no Vaticano, à Eucaristia por ocasião do Baptismo do Senhor. E como já é tradição, neste dia, o Papa baptizou algumas crianças: 28 ao todo, 13 de sexo feminino e 15 de sexo masculino.Na sua breve homilia, dirigindo-se aos pais dessas crianças, o Papa disse:“Vós pedistes para as vossas crianças, a fé que será dada pelo baptismo. A fé: isto significa vida de fé, porque a fé deve ser vivida. Caminhar pelos caminhos da fé e dar testemunho da fé. A fé não é recitar o “Credo” domingo, quando vamos à Missa: não é só isto. A fé é acreditar naquilo que é a Verdade: Deus Pai que enviou o seu Filho e o Espírito que nos vivífica. Mas a fé é também confiar-se a Deus, e deveis ensinar isto às vossas crianças, com o vosso exemplo, com a vossa vida. E a fé é luz: na cerimónia do baptismo vos será dada uma vela acesa, como nos primeiros dias da Igreja.

Rezar em Família no Natal - NA SEMANA DEPOIS DA EPIFANIA E PRIMEIRA DO TEMPO COMUM

CONTEMPLAR A ALEGRIA DO EVANGELHO “Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer?”
ITINERÁRIO SIMBÓLICO Atitude mariana: Interioridade
ABRIR A CASA À LUZ No início da oração acender a vela
ORAÇÃO P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. R. Amém!
 P. Com Maria e José, oremos ao Senhor!
 R. Neste Natal, Ele nos dá a alegria do Seu amor!

Desculpa

«Pedir desculpas é difícil,  mas torna-se libertador.»  Pe. Rui Miguel
Não é fácil admitir que erramos. Não é fácil interiorizar que nem sempre temos razão. É preciso olharmos para dentro e percebermos do que somos feitos. É preciso nascermos de novo. É necessário sabermos que "é muito mais aquilo que nos une, que aquilo que nos separa.". É urgente que tenhamos a coragem de pedir desculpas. É urgente que tenhamos a audácia de entender que aquele que se cruza connosco vai encontro da mesma humanidade. É certo que é uma humanidade recheada de diferenças, mas são nelas que encontramos toda a sua beleza.

Solenidade da Epifania do Senhor: Caminhar para encontrar a Glória

O Papa presidiu na manhã da sexta-feira (06/01) a Solenidade da Epifania do Senhor, na Basílica de São Pedro. Francisco falou de uma "nostalgia" que impeliu os reis magos a colocarem-se a caminho e seguir a estrela de Belém.  "Lá, em Belém, havia uma promessa de novidade, uma promessa de gratuidade. Lá estava a acontecer algo de novo", refletiu o Pontífice.
Homilia integral
«Onde está o Rei dos judeus que acaba de nascer? Vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-Lo» (Mt 2, 2).
Com estas palavras, os Magos, que vieram de terras distantes, dão-nos a conhecer o motivo da sua longa caminhada: adorar o Rei recém-nascido. Ver e adorar são duas ações que sobressaem na narração evangélica: vimos uma estrela e queremos adorar.