Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2016

Papa Francisco… e agora, o que eu faço?

“Oi pai, mãe… estou com um problema, não sei o que fazer. Por um lado…, por outro…, claro, é que… porque veja bem… e é que, se não for assim…” Quantas vezes já comecei desse jeito uma ligação para os meus pais. Nesses momentos, eu recebia quase sempre a mesma resposta: “Bem, meu filho… você é quem sabe… reflita sobre isso. O que você fizer estará bem feito. Nós estamos ao seu lado”. Eu tremia na base. Ficava muito bravo e normalmente terminava com uma sensação estranha: “então foi para isso que eu liguei?”, pensava… “Se eu já sei, então não precisaria ligar para eles”. Com o passar do tempo, a pessoa começa a perceber que recebia a resposta correta. Já conversei sobre isso com meus pais várias vezes. Minha ligação era para que outros decidissem por mim. Eu queria que os outros assumissem a responsabilidade – neste caso, meus pais. Assim, eu teria a possibilidade de colocar a culpa neles caso algo desse errado ou falhasse.

EU VOS DECLARO

A propósito da XI Jornada da Família - "Família: uma questão jurídica ou um união de Facto!?" vale bem a pena pensar nisto...

Jubileu Arciprestal da Família

No passado dia 21 de maio, a Igreja jubilar, Matriz Nova de Santo Adrião, do Arciprestado de Vila Nova de Famalicão, acolheu a celebração do jubileu da Família e das famílias do arciprestado, tempo presente 9 casais a celebrar as suas bodas matrimoniais de 1, 25, 50 e 60 anos.  Esta celebração, presidida pelo Vice Arcipreste P.e Francisco Carreira e animada pelo coro de São Martinho de Cavalões, deixou interpelações para a família. A coincidência do jubileu da Família com a Solenidade da Santíssima Trindade ajudou a tomar consciência da unidade, da comunhão, da relação e vida à qual a família é diariamente chamada a viver. Mas para que tudo isto se concretize é importante assumir uma atitude abertura ao outro diferente de si, mas complementado e enriquecido pelo outro. Trata-se de um aprender a receber para aprender a dar. Aprender a receber exige abertura, solicitude e humildade. Aprender a dar exige discernimento sobre o bem, o bom e o belo que oferecemos ao outro.  A Santíssima Trin…

A família é mais do que uma união jurídica... (XI Jornada da Família)

Decorreu no passado sábado, dia 21 de maio, no salão nobre do Centro Pastoral de Santo Adrião de Vila Nova de Famalicão, das 14h30 às 18h40, a XI Jornada da Família, tendo por mote de reflexão “Família: uma questão jurídica ou uma união de facto!?”. Esta jornada foi aberta com a presença dos alunos da ArtEduca com a interpretação do Hino da Família, criado para o dia internacional da família do passado dia 15, comemorado por todo o município no Parque da Devesa. Foi um momento enriquecedor onde todos aprenderam o hino o cantaram com o coro e orquestra da ArtEduca. Seguiu-se a intervenção do primeiro conferencista, Doutor João Duque, professor catedrático da Universidade Católica, núcleo de Braga. Tomando por base o Moto Próprio Mitis et Misericors Jesus, sobre a reforma do processo canónico para as causas de declaração de nulidade do matrimónio no código dos cânones das igrejas orientais, e a Exortação Apostólica Pós Sinodal Amoris Laetitia, o Professor João Duque abordou a realidade da…

Família, de facto uma união

Dia da Família por Teresa Power

Em vésperas da XI Jornada da Família, deixamos aqui o testemunho de uma das intervenientes na Jornada: Teresa Power. Apresentamos os seu texto e entrevista presentes no seu blogue, para o dia da família: "Que o Senhor abençoe hoje e sempre todas as famílias da Terra! Que o Espírito Santo desça hoje e sempre sobre todos nós e nos espalhe pelo mundo como testemunhas da alegria do amor! Deixo-vos a entrevista que ontem dei no Grupo Renascença, no programa Lusofonias. A entrevista pode ser ouvida a partir do minuto catorze e tem a duração de cerca de vinte minutos. Desfrutem!"

A misericórdia é escandalosa e louca

«A misericórdia é qualquer coisa de escandaloso, louco, até, para a lógica humana. Não raro, no decorrer da história e dentro da Igreja, foi interpretada exatamente ao contrário de como Jesus a colocou em prática com a mulher adúltera, que escribas e fariseus queriam apedrejar.» Enzo Bianchi fala com a verve do homem apaixonado. Cita os Evangelhos, a festa hebraica do Yom Kippur, o profeta Oseias e o místico russo Silvano do Monte Athos. No Salão do Livro de Turim dialogou com o psicanalista Massimo Recalcati, partindo do seu último livro, “L’amore scandaloso di Dio”, o amor escandaloso de Deus (editora San Paolo, 144 págs.). O prior da Comunidade de Bose sublinha o sentido paradoxal da misericórdia: «Não é o arrependimento que cria o perdão, mas o perdão que nos é dado é que provoca o arrependimento». Isto é possível graças à «força assimétrica», como a define Recalcati, do perdão: «Não perdoo o outro porque se arrepende mas perdoo-o porque este gesto abre o cenário inédito do arrepend…

Castigar!?

A amizade consiste na delicadeza de estar disponível para o outro...

Sempre existe em cada um de nós uma palavra não dita, um sentimento inconfesso e reprimido, um desejo implícito que quer ter vida. O nosso eu interno precisa de ar. Precisa respirar um pouco aqui fora, no mundo onde talvez ele possa ser compreendido e amado. Mas no quotidiano das urgências e dos prazos, onde o Ter impera e o Ser vai perdendo mais e mais importância, já não há muito espaço para a expressão do sentir. E, se poucos são aqueles que param para ponderar acerca das próprias emoções e desejos, quem teria, nos dias de hoje, tempo e interesse de ouvir o desabafo do outro?

Ser mãe... Ser filha...

"Não somos perfeitos" diz o papa Francisco

“Não existe família perfeita! Não temos pais perfeitos, não somos perfeitos, não nos casamos com uma pessoa perfeita nem temos filhos perfeitos. Temos queixas uns dos outros. Dececionamos uns aos outros. Por isso, não há casamento saudável nem família saudável sem o exercício do perdão. O perdão é vital para nossa saúde emocional e sobrevivência espiritual. Sem perdão a família se torna uma arena de conflitos e um reduto de mágoas.

Defender o casamento e a família

PAI, MÃE E FILHOS
Iniciativa de cidadania europeia para defender o casamento e a família Juntos vamos apoiar o casamento e a família na Europa:
Casamento: união permanente e fiel entre um homem e uma mulher com o propósito de construir uma família.
Família: o pai, a mãe e os filhos.
Relação familiar: relação jurídica entre os dois cônjuges, ou de cada um dos pais com o(a) filho(a).
Sim, eu apoio o pedido à EU para haver legislação que defina o significado de casamento e família: casamento, como a união entre um homem e uma mulher e a família, como relação baseada no casamento e/ou descendência. Visite: http://www.mumdadandkids.eu/pt Faça a sua assinatura por esta causa.

Dia da mãe… ser na terra o que Maria é no Céu!

Dia da Mãe, Dia de muita ternura e beijinhos Dia de saudade e de futuro
Neste dia de gratidão e de acção de graças a Deus pelo dom maravilhoso da maternidade Convidamos todas as mães a vir ao altar… Nas suas mãos será colocado um terço… Este terço é o sinal do Sim de Maria E ao mesmo tempo sinal do sim de cada uma das mães à vida que é sempre Dom de Deus… São elas a expressão da presença do Paráclito defendendo e guardando a vida comunicando e testemunhando a beleza da maternidade traduzindo Deus na vida dos seus filhos...